sexta-feira, 8 de julho de 2016


Minha História de vida

História de:  Raimundo Arruda de Oliveira
Autora: Raimundo Arruda de Oliveira
Publicado em: 08/07/2016

  Raimundo Arruda de Oliveira, conhecido por Cebion, nascido em quinze de abril de 1960 na fazenda Riachuelo, a 45 km da cidade de Ruy Barbosa Ba, filho de Rafael Barbosa de Oliveira e Nacimenta Benta Arruda.
   Quando criança morei na Bonita, distrito de Mundo Novo Ba, juntamente com meus pais e meus seis irmãos: Marilene, Zenilda, Jaciara, Edivaldo, Lai e Marileide.
   Tempos depois, os meus pais se mudaram para a cidade de Ruy Barbosa Ba. Comecei a estudar aos meus nove anos de idade, mais logo foram interrompidos, pois comecei a trabalhar para ajudar a minha família ,  depois de um certo tempo reiniciei os estudos e tão logo mudei-me para a cidade de Miguel Calmon. Depois fui para a cidade de São Sebastião de Passé e em 1979, fui para a cidade de São Paulo, retornando em 1981. Tão logo, fui para Salvador a trabalho como ocorreu nas demais cidades, as quais foram citadas.
  Fiz de tudo um pouco: balconista, açougueiro, vendedor de picolé, sapateiro, garçom e trabalhei durante nove anos como armador de móveis, fui recepcionista de hotel e marceneiro. Retomei os estudos, fiz o curso supletivo, mais não concluir. Comei a trabalhar no supermercado Pague Menos. Nesta época, conheci Vera Lúcia da Cruz Ferreira, namorei três anos e nos casamos em 1986, com quem tive um filho de nome Greyfe Ferreira de Oliveira, nascido em primeiro de maio 1988. O nosso casamento durou apenas dezessete anos, vindo a nos separamos em 2002.
   Trabalhei nove anos na Fenícia e vinte e cinco anos na pousada Tropical em turnos diferentes, para construir a minha casa e deu tudo certo. Sair dessa empresa em 2013.
   Sou desquitado e estou solteiro até hoje. Continuei trabalhando e ingressei no esporte muito tarde, com vinte e seis anos de idade, mas meu esporte preferido era o futebol. Cheguei a criar um time de futebol chamado Mirim, o qual não deu certo, daí em 1983 descobri o atletismo. A minha primeira prova no atletismo, foi num percurso de onze km, na cidade de Ruy Barbosa Ba. O prefeito da época era o Senhor Manoel Antônio Jansen da Silva Melo. A corrida aconteceu no dia vinte e um de abril em homenagem a Tiradentes, onde fui classificado em sétimo lugar, ganhando assim, a minha primeira medalha. Foi o começo da minha vida de atleta e uma mudança radical em todos os sentidos, registrando o meu nome na história esportiva de Ruy Barbosa na Bahia, como o único atleta dos esportes olímpicos, elevando assim o nome da nossa cidade juntamente a grandes competidores no país e no exterior, bem como o reconhecimento na Federação Baiana de Atletismo e federado como campeão baiano de corrida de rua em 2014, na categoria 50/54 anos.
   Tive acesso a mídia, rádio, televisão e jornais, sempre dando entrevistas ao longo da minha carreira esportiva como a São Silvestre que ocorreu em 1990 e ao longo do tempo participei de grandes entrevistas em jornais e TVs no país, como: antiga TV Manchete, Rede TV, TV Aratu, TV Bahia, TV Globo, Rede Record e no Jornal á Tarde. Mas o maior prêmio que um atleta ganha é o reconhecimento da família e da sociedade em geral.
   A vida de um atleta tem que ter disciplina e perseverança, tendo assim, que abrir mão de muitas coisas para estar sempre no topo. Dessa forma, os treinamentos diários são muito importantes, para dar continuação ao esporte, atingir seus objetivos e chegar sempre no pódio. A vida de alguns atletas assim como eu, ainda é muito difícil, pois tenho que treinar muito e ainda correr atrás dos patrocínios. Aqui em Ruy Barbosa na Bahia onde moro tenho que agradecer a todos que contribuíram e contribuem para engrandecer a minha carreira como atleta. Agradeço também aos comerciantes locais, empresários de fora e em especial ao meu grande amigo Alex da Mex, que me deu todo apoio e ajuda desde que comecei a minha carreira esportiva.
   Já corri milhares de provas de 5 km, 10 km, 15 km, muitas de 21 km e 25 km como a da cidade de Aracajú, mais nunca tinha corrido uma maratona completa que é de 45 km e 195 m. Em 2011, participei da minha primeira maratona e escolhi a Maurício de Nassau em Recife – Pe, onde terminei em segundo lugar na minha categoria. A minha segunda participação foi em 2012 onde fui campeão e em 2013 terminei em segundo lugar na categoria 50/54, onde tive bons resultados em quase todos os Estados que participei, como a meia maratona do Rio de Janeiro, a Volta da Pampulha em Belo Horizonte, Maceió, Natal e outros como na Argentina em 2010 e na meia maratona em Buenos Aires.  Até nos dias de hoje fui contemplado com 190 troféus e 160 medalhas, fruto das minhas conquistas. 
   Cebion é o meu apelido, o qual me foi dado pelo amigo Lauro aos oito anos de idade, pois na época, havia um comercial na TV com um boneco de topete no cabelo e como eu tinha esse mesmo penteado fiquei conhecido por Cebion. Entre outras atividades, sou também artesão, trabalho com artes em madeira e sou evangélico, membro da Igreja Batista Heróis da Fé, desde 1995, onde congrego até então.
  

 

 

2 comentários:

  1. Uma história que com certeza serve de exemplo para aqueles que querem ter sucesso,seja na vida esportiva seja na vida profissional.Tem muito a ensinar,pois mostra o quanto é importante acreditar em nossos sonhos.

    ResponderExcluir
  2. Da-lhe Meu Tio tenho orgulho do senhor

    ResponderExcluir